Sim, é verdade! São muito conhecidos os benefícios da Osteopatia em diferentes áreas de saúde e a prisão de ventre não é exceção! Recomendada e incentivada pela Organização Mundial de Saúde como uma área de elevado potencial na melhoria da qualidade de vida, a Osteopatia apresenta resultados extremamente satisfatórios nos problemas viscerais.

Quando se considera que existe Obstipação?

O processo de eliminação é vital para o bom funcionamento do organismo, por isso deve acontecer regularmente. Num adulto, considera-se fisiologicamente natural uma frequência de defecação de 1 a 2 vezes por dia.

Normalmente, determina-se a presença de obstipação, se a pessoa apresentar pelo menos dois dos seguintes critérios:

  • evacuação intestinal menos frequente e irregular;
  • sensação de evacuação incompleta;
  • fezes duras em mais de ¼ das defecações;
  • realização de muito esforço ao defecar, tendo necessidade de fazer algumas manobras abdominais para ajudar;
  • sensação de resistência na passagem das fezes.

Problemas Intestinais vs Obstipação Funcional

Normalmente, a prisão de ventre está associada a problemas intestinais. No entanto, às vezes, os intestinos não funcionam na ausência de razões médicas válidas – a chamada obstipação funcional.

Nestes casos, os intestinos estão “em bom estado” e saudáveis, apenas não conseguem trabalhar como deveriam. A sua estrutura está íntegra, não há danos nas paredes e os exames imagiológicos revelam-se normais. A pessoa não tem nenhuma patologia médica intestinal, doença neurológica ou sistémica diagnosticada, nem está a tomar medicação com efeitos obstipantes.

Mas, então, porque os intestinos não funcionam? Isto pode acontecer por várias razões, nomeadamente:

  • tensões e pressões das fáscias e ligamentos que unem os intestinos a outros elementos do corpo (diafragma, costelas, coluna e pélvis), o que altera a sua posição, o seu enrolamento e a sua liberdade para “contrair”, levando a que partes do intestino possam dobrar-se sobre si e fechar, o que dificulta a passagem das fezes;
  • alterações no alinhamento ou na mobilidade da coluna lombar, que impedem a irrigação sanguínea e a estimulação eficaz dos intestinos, perturbando a sua atividade e gerando um trânsito intestinal lento;
  • a posição do sacro e dos ossos do crânio, que condicionam a ação intestinal porque influenciam a sua inervação motora;
  • músculos abdominais fracos, que facilitam a descida dos intestinos (ptose), alterando o modo como se enrolam e a sua disposição abdominal;
  • cicatrizes abdominais aderentes e duras, que influenciam significativamente a postura da pessoa, a tensão abdominal, podendo complicar o trabalho intestinal.

Como a Osteopatia ajuda na Obstipação?

O processo de eliminação fecal é fundamental para o bom funcionamento do organismo, por isso, deve acontecer de forma regular.

A Osteopatia pode ser um aliado essencial para resolver o seu problema de obstipação de uma vez por todas, no entanto, há diversas situações em que é importante complementar o trabalho em Osteopatia com ajuda da Reeducação Postural Global – RPG e do Exercício Clínico e com a introdução de estratégias alimentares, com a ajuda da consulta de Nutrição Funcional.

A Osteopatia que desenvolvemos na Fisiovida é uma terapia manual comprovada, segura e não invasiva, que liberta as zonas rígidas do corpo e as aderências, possibilitando aos intestinos fazerem o seu trabalho corretamente.

O osteopata estimula os movimentos peristálticos dos intestinos (movimentos de contração que empurram a matéria fecal), melhorando o funcionamento intestinal e, naturalmente aumentando o bem-estar geral e a qualidade de vida.

Se sofre com prisão de ventre ou outros problemas intestinais, não desespere, nem aceite a situação como um destino com o qual tem de viver. Recorra à Fisiovida e receba ajuda profissional, faça da obstipação uma história do passado! Saiba mais sobre o que é a Osteopatia e quais as principais áreas de intervenção realizadas na Fisiovida.

Bibliografia

  • Do Vale J, Carvalho H, Andrade V, Almeida L   Effectiveness of the ostheopatic treatment in intestinal constipation: a systematic review. GED gastroenterol. endosc. dig. 2017: 36 (2): 68 – 76;
  • Fernandes W, Blanco C, Politti F, Lanza F, Lucareli P, Corrêa J. The effect of a six-week osteopathic visceral manipulation in patients with non-specific chronic low back pain and functional constipation: study protocol for a randomized controlled trial  Trials. 2018; 19: 151;
  • Belvaux A, Bouchoucha M, Benamouzig R. Osteopathic management of chronic constipation in women patients. Results of a pilot study. Clin Res Hepatol Gastroenterol . 2017 Oct;41(5):602-611. doi: 10.1016/j.clinre.2016.12.003. Epub 2017 Feb 16;
  • Ricard F. Tratado de Osteopatia Visceral y Medicina Interna – Volume II – sistema Digestivo – Novembro 2016 – 2ª edição. Medos Editorial;
  • Netter F. H. Atlas de Anatomia Humana 6ª edição 2015 Elsevier.

Escolha a metodologia avançada que desenvolvemos com a Osteopatia!Contacte-nos