A Nutrição Funcional é considerada por muitos como a Nutrição do Século XXI.
Engloba os conhecimentos das Ciências da Nutrição e Alimentação e tem a bioquímica (ciência que estuda o metabolismo e a forma como todos os processos ocorrem no organismo) como pilar fundamental.
Na Nutrição Funcional, a pessoa é considerada como sendo única, o que faz todo o sentido pois:

  • cada um de nós tem um conjunto de genes que é único;
  • a forma como esses genes se expressam é única;
  • apesar da bioquímica no geral funcionar de forma semelhante, cada indivíduo tem um metabolismo “próprio” (existem processos que estão mais ou menos ativos em cada um de nós);
  • é único na forma como reage a certo tipo de alimentos;
  • é único no seu percurso de vida, experiências, ritmos biológicos de trabalho, lazer e descanso.

    A Nutrição Funcional atua no TRATAMENTO e, acima de tudo, na PREVENÇÃO, ou seja, fortalece os sistemas do nosso organismo para que funcionem corretamente e não adoeçam. Para além de um corpo sem doença, com a Nutrição Funcional trabalha-se para que um organismo funcione no seu MÁXIMO POTENCIAL E BEM-ESTAR.

    ABORDAGEM NA NUTRIÇÃO FUNCIONAL:
    O objetivo da Nutrição Funcional é fortalecer os sistemas (cardiovascular, digestivo, imunitário, nervoso, entre outros) do nosso organismo para que funcionem da melhor forma possível, de forma a alcançar o estado de saúde e bem-estar pleno.
    Para isso, é fundamental conhecer o percurso de vida da pessoa, o seu historial clínico, o seu padrão alimentar, recorrer a análises gerais e específicas, testes genéticos e funcionais e avaliar a sintomatologia e sinais clínicos.

    A sintomatologia e sinais clínicos surgem sempre antes da doença se manifestar e revela-se fundamental para a sua prevenção.

    Não basta conhecer a informação mais recente, é preciso ir muito mais além. É preciso recolher informação que reporte ao passado pois todo o percurso percorrido até ao momento atual é fundamental, na medida em que influenciou a condição atual.
    A questão alimentar não é meramente estética mas sim, funcional. Não é à toa que já Hipócrates dizia: “Que o teu alimento seja o teu medicamento e que o teu medicamento seja o teu alimento”.

    O que se procura com a melhoria do padrão alimentar é a homeostasia, ou seja, o equilíbrio do organismo. E esse equilíbrio vai manifestar-se não só em termos internos mas também externos. A pessoa sente-se melhor, mesmo com ela própria.

    QUANDO DEVO REALIZAR UMA CONSULTA DE NUTRIÇÃO FUNCIONAL?
    Quantas vezes terminou uma refeição e sentiu que a sua barriga inchada? Quantas vezes já sentiu que de manhã a sua barriga está menos inchada que ao final do dia? Uma barriga inchada é sinal de um aumento da pressão dentro do seu abdomén. Este aumento de pressão vai aumentar a pressão sobre a coluna e originar, em muitos casos, dores que podem evoluir para protrusões/hérnias discais ou mesmo quadros de inflamação em órgãos internos.

    A sintomatologia e sinais clínicos surgem sempre antes da doença se manifestar e revela-se fundamental para a sua prevenção.


    É fundamental perceber o que é que em termos bioquímicos está a causar a barriga inchada (pode ser uma disbiose, pode ser uma intolerância alimentar, podem ser várias as causas). Só avaliando caso a caso, na consulta de Nutrição Funcional conseguiremos descobrir. Mas independemente da causa, o problema pode ser corrigido. Daí ser fundamental aliar a Fisioterapia à Nutrição Funcional.
    Vivemos numa correria constante, que muitas das vezes nos faz esquecer de nós. E muitas das vezes só nos apercebemos disso quando sentimos dor. Achamos que o tempo não estica, que há muito que fazer. E vivemos cansados, num quadro constante de inflamação.
    Muitas das vezes sem saber que com a alimentação certa e pequenas mudanças no estilo de vida, a energia aumenta, a concentração também, a tensão diminui, as tarefas do dia-a-dia tornam-se mais fáceis e conseguimos fazê-las de uma forma mais rápida e eficiente. E a parte melhor é que sobra tempo para nos dedicarmos a fazer coisas que gostamos.
    Com pequenos passos, pequenas mudanças, é possível lá chegar.

    OS DIFERENTES SISTEMAS/ÓRGÃOS:
    1) FÍGADO
    O nosso fígado metaboliza tudo aquilo que ingerimos e tudo aquilo com que contactamos (sejam alimentos, medicamentos, poluentes, tóxicos, entre outros).
    A forma como o sobrecarregamos diariamente faz com que trabalhe sem descanso. E tal como nós, o fígado precisa de descanso para que possa trabalhar da melhor forma possível.
    Como se sentem quando passam uma noite sem dormir? Como é que é o vosso desempenho? Sentem-se mais lentos, com mais dificuldade de lidar com o dia-a-dia.

    Como se sentiriam se passassem dias seguidos a trabalhar sem descanso? Chegaria a um ponto em que já não conseguiam sequer raciocinar, quanto mais trabalhar. O nosso fígado e as nossas células não são diferentes. Não podem ser sobrecarregados de uma forma contínua e precisam de “descanso” para trabalhar da melhor forma possível, pois tudo isso vai afetar o nosso bem-estar.
    Daí, muitas vezes precisarmos de parar e fazer uma DESINTOXICAÇÃO que pode ser conseguida através dos alimentos se o quadro assim o permitir.
    Contudo, são frequentes as situações nas quais são tantos os anos, por vezes décadas, de acumulação de toxinas e de sobrecarga hepática, que são necessárias doses elevadas de vitaminas, aminoácidos e outros compostos naturais para restabelecer novamente o equilíbrio.
    E nesses casos, temos que aliar a alimentação à suplementação, pelo menos numa fase inicial. Até que o equilíbrio seja novamente restaurado e que a alimentação, por si só, seja suficiente para o manter.

    2) INTESTINO
    O intestino é dos orgãos mais importantes do nosso organismo.
    É extremamente frequente os nossos utentes apresentarem quadros clínicos de obstipação ou síndrome do intestino irritável.
    Na base destes problemas, poderá estar uma disbiose (desiquilíbrio da flora bacteriana intestinal com diminuição do número de bactérias “boas” do intestino e aumento das bactérias capazes de causar doença).
    É fundamental manter o equilíbrio bacteriano a nível intestinal pois o seu desiquilíbrio afeta todos os outros sistemas do nosso organismo.
    Afeta a parte mental, o humor, o sistema gastro-intestinal e músculo-esquelético e inclusivamente o sistema imunitário.

    Associado a técnicas viscerais, acupuntura, exercícios pélvicos, a Nutrição Funcional é fundamental no tratamento do intestino pois atuará na raiz/causa do problema.

    2.1) COMO É QUE CHEGAMOS A UMA SITUAÇÃO DE DISBIOSE (alteração da flora intestinal)?

    As causas de disbiose podem ser variadas. Cada caso é um caso.
    Um dos exemplos é uma alimentação rica em hidratos de carbono simples (açúcares).
    Com a elevada ingestão de açúcares, fazemos com que as bactérias boas do nosso intestino sobrevivam menos e com que o número de bactérias causadoras de doença aumente.
    As bactérias “nocivas” libertam substâncias com ação inflamatória que podem colocar em causa todos os sistemos do nosso organismo, inclusivé o nosso sistema imunitário.

    2.2) DISBIOSE E SISTEMA IMUNITÁRIO
    E se este padrão for mantido numa base diária, o sistema imunitário vai ser sobrecarregado diariamente, numa tentativa de lutar contra o próprio corpo, estando por isso menos capaz de “enfrentar” microorganismos invasores e mais suscetível a ficar doente.
    Para além disso, um sistema imunitário enfraquecido está também relacionado com uma menor capacidade mental para resolução de problemas e maior tendência a depressões.
    Não é por acaso que o intestino é considerado o nosso “segundo cérebro”.

    3) GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS
    As glândulas supra-renais são responsáveis pela regulação das hormonas presentes na corrente sanguínea. São ainda responsáveis pela regulação dos sais minerais, pela regulação hormonal em conjunto com as glândulas sexuais, pela regulação dos níveis açúcar no sangue ao regularem a libertação de insulina por parte do pâncreas e pela regulação do sistema imunitário. É nas supra-renais que é produzido o cortisol.
    Quando uma hormona é libertada na corrente sanguínea, ela interage com as células, de forma a desempenhar a sua função. A capacidade de absorção hormonal da célula é influenciada pela quantidade de cortisol presente na corrente sanguínea num dado instante.

    3.1) Glândulas supra-renais e stress: relação com sistema imunitário e obesidade
    O cortisol é uma hormona que influencia largamente o equilíbrio do sistema imunitário, dado o seu importante papel na inflamação.
    As glândulas supra-renais são mediadas pelo sistema de luta ou fuga. Quando estamos sob stress constante, o nosso corpo prepara-se para lutar de forma a lidar com uma situação de crise, acumulando gordura à volta dos órgãos – gordura visceral. Esta gordura é o combustível de mais fácil acesso em alturas de privação de alimento ou épocas de “crise”. Esta gordura é diferente da que se acumula, debaixo da pele, nas ancas, nos braços, denominada gordura subcutânea. A gordura subcutânea constitiu um combustível “seguro” que não conseguimos utilizar com tanta facilidade.
    Desta forma, quando vivemos num stress constante, temos uma maior tendência para acumular gordura visceral comparativamente a uma pessoa com um estilo de vida mais calmo que ingere o mesmo “número de calorias”.
    Para além disso, os alimentos processados, os açúcares, o contacto constante com alimentos que o nosso organismo não é capaz de tolerar alteram o nosso sistema para o denominado modo de sobrevivência/modo de crise o que conduz a uma desregulação hormonal. Esta desregulação hormonal leva a um aumento de apetite, diminuição da energia e a uma maior acumulação de gordura visceral.

    A Nutrição Funcional permite que todos estes sistemas/orgãos regressem ao seu estado de equilíbrio e o resultado é uma pessoa nova, a todos os níveis.

    Vai sempre a tempo de tratar de si e de mudar para melhor. A Nutrição Funcional destina-se a todos, pois há sempre aspetos a serem melhorados.
    Não trate apenas a DOENÇA, aposte e invista em si! Assuma a sua SAÚDE como prioridade pois sem ela até pequenas tarefas do dia-a-dia se tornam difíceis! Aposte também na PREVENÇÃO!

    A minha missão: ajudar pessoas a mudar a vida para melhor e a alcançarem o seu maior potencial através da Nutrição Funcional.
    Sobre mim: Alguém que adora o que faz e tem um gosto enorme e genuíno em ajudar as pessoas. Alguém que se preocupa e se dedica de corpo e alma aos seus utentes.”

    Dra. Paula Ramos
    (Nutricionista especialista em Nutrição Funcional)