A RPG no Ballet

É verdade que a prática de exercício físico traz benefícios para a saúde e desenvolvimento da criança, reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde.

Cada vez mais, os pais inscrevem os seus filhos numa modalidade desportiva, como forma de impulsionar a sua resistência, o seu sistema de defesas, a capacidade de interação em equipa e outras competências pessoais, sociais e físicas.

Que cuidados ter em atenção?

  • Visto que a criança está em processo de crescimento e apresenta ainda um sistema músculo-esquelético relativamente imaturo, é importante moderar a carga e o esforço imposto ao seu corpo;
  • A escolha da atividade física, além de atender à motivação da criança, deve respeitar um certo grau de exigência e compreender uma grande variabilidade de movimentos e posições fisiológicas, para ativar o seu corpo na globalidade;
  • O mais apropriado será uma modalidade que estimule gradualmente os músculos e o sistema articular de uma forma geral e básica, pois os músculos ainda não estão “aperfeiçoados” para gestos tão específicos e mais complicados. Porque quando o corpo é levado até certos limites, solicitando ao máximo dos músculos, tendões, ossos e articulações, o exercício pode atuar como agente patológico sobre o aparelho locomotor;
  • BALLET: A ESCOLHA CADA VEZ MAIS FREQUENTE NAS MENINAS

    O Ballet desperta hoje em dia um elevado nível de motivação nas crianças e até nos pais, pois é uma arte na qual o corpo se move e se expressa com graciosidade, evidenciando a beleza dos movimentos.

    Para além disso, o Ballet é um desafio para o corpo: novas posições e um estímulo constante de progressão dos movimentos. A experiência de ir além do que se vai no dia a dia.

    BALLET: UMA ATIVIDADE INDICADA PARA A CRIANÇA?

    O Ballet é uma modalidade de dança que pode ser demasiado exigente para a estrutura corporal da criança:

  • carateriza-se por gestos específicos, não utilizados diariamente pela criança, por isso não estimula as capacidades fisiológicas e naturais do corpo:
  • a intensidade e desafio que impõe ao corpo, pode mesmo condicionar o desenvolvimento dos tecidos no seu equilíbrio de tensões e de propriedades.
  • a técnica de Ballet comporta um padrão caraterístico de gestos, com predomínio em determinadas direções, não trabalhando todos os tecidos por igual;
  • os movimentos e posições não exploram toda a variabilidade do corpo;
  • a abertura dos membros inferiores é extrema, não respeitando a natureza mecânica do corpo;
  • como o corpo não conhece os movimentos e os está a experimentar pela primeira vez, requer à criança um esforço físico adicional, para conseguir precisão na execução;
  • são necessários níveis elevados de potência muscular, elasticidade dos tecidos e uma preparação e resistência das estruturas do corpo, que nesta fase de crescimento, ainda não se desenvolveram;
  • a repetição e o tempo de permanência em posições gera muita carga para tendões e músculos;
  • a sobrecarga músculo-esquelética acarreta maior risco de lesões ortopédicas, alterações anormais na tensão de alguns músculos e no alinhamento da postura.

    O EXERCÍCIO NÃO DEVE EXIGIR ALÉM DO QUE O CORPO ESTÁ PREPARADO.

    OS EFEITOS DA PRÁTICA DE BALLET SOBRE A ESTRUTURA CORPORAL

  • criam-se desequilíbrios musculares (fraqueza ou tensão excessiva), principalmente dos membros inferiores:
    – os músculos rotadores externos (giram as coxas e pernas para fora) e os gémeos (da parte de trás das pernas) aumentam a sua tensão– os músculos adutores (de dentro das coxas) e flexores dos dedos do pé (que dobram os dedos) ficam muito esticados e fracos
  • fadiga muscular acentuada;
  • alteração do alinhamentos das pernas para fora GERA pressões anormais nas articulações e tensão excessiva de alguns ligamentos;
  • frouxidão ligamentar (fraqueza) GERA risco de instabilidade dos tornozelos e do joelhos e de hipermobilidade (mover demais);
  • origina forças de torção no corpo o que CAUSA stress nos ossos, tendões e músculos;
  • tendência para grande encurtamento de alguns músculos (da coluna e da região de trás das pernas);
  • insuficiência da musculatura abdominal e da cintura pélvica;
  • alterações da postura e alinhamento do corpo:
    – aumento da curva lombar (hiperlordose lombar);
    – deslocamento da bacia para a frente;
    – joelhos desviam para trás;
    – cabeça muito projetada para a frente.
  • modificação das estruturas anatómicas do pé;
  • alteração do apoio dos pés (pois tendem a rodar excessivamente para fora) o que MODIFICA o equilíbrio em pé;
  • desequilíbrio entre força e flexibilidade;
  • repercussões significativas em alguns movimentos:
    – movimento de “turnout” GERA torção excessiva das pernas;
    – movimento de “arabesc” e “cambre” GERA pressão exagerada na vértebras lombares;
    – posição “em pontas” GERA elevada pressão sobre a cabeça dos dedos dos pés e impacto sobre o calcanhar.

    AS LESÕES MAIS COMUNS

    Lesões do tornozelo e pé:

  • Tendinites (aquiles, no dedo grande);
  • Entorses;
  • Deformidade do dedo grande (joenete – hálux valgo);
  • Fasceíte plantar (inflamação nas solas do pé);
  • Fraturas de pequenos ossos do pé por sobrecarga;
  • Bursite aquiliana;
  • Desvio dos pés (demasidado abertos e inclinados para dentro);

    Lesões do joelho:

  • Tendinites;
  • Distensões ligamentares;
  • Roturas ou micro-roturas meniscais;
  • Luxações e desvios da rótula;
  • Condromalácia;

    Lesões da anca/quadril:

  • Quadril estalante (presença de estalo ao mover as ancas);
  • Tendinites dos adutores ou piramidal;
  • Distensões dos músculos de trás das coxas (isquiotibiais);
  • Síndrome da banda íliotibial;
  • Problemas degenerativos no futuro (artroses);

    Problemas lombares/sacro-ilíacos:

  • Dor lombar;
  • Hipermobilidade lombar;
  • Bloqueio da sacro-ilíaca;
  • Predisposição a problemas discais, hérnias e artroses;
  • Contraturas musculares lombares.

    PRATICAR O BALLET COM MAIS SEGURANÇA PARA O CORPO

    É importante uma ação preventiva para que o corpo mantenha o equilíbrio entre os vários grupos musculares. A Reeducação Postural Global – RPG constitui um complemento essencial para a criança praticante de ballet. Ajuda a minimizar os riscos, evitar lesões e manter uma postura equilibrada para suportar melhor a intensidade das cargas impostas ao corpo.

    Além disso, a FISIOVIDA pretende consciencializar os educadores que inscrevem os filhos nesta modalidade, estarem atentos ao seu alinhamento corporal e ao aparecimento de qualquer assimetria mais visível.

    É necessário durante a prática do ballet, respeitar os limites do próprio corpo, sem que a criança ou adolescente se excedam na tentativa de executar os gestos.

    O TRATAMENTO POSTURAL A PAR DO BALLET AJUDA A MINIMIZAR OS RISCOS DESTA MODALIDADE.

  • Marque já a sua consulta! Estamos preparados para o(a) ajudar!Contacte-nos