Qual o “medicamento-SEGREDO” que a Indústria Farmacêutica tenta esconder?

A ATIVIDADE FÍSICA e o EXERCÍCIO são frequentemente usados como termos sinónimos mas não o são. A ATIVIDADE FÍSICA é definida como qualquer movimento corporal produzido pela contração dos músculos esqueléticos, como por exemplo as tarefas do quotidiano. O EXERCÍCIO é um tipo de atividade física que consiste no movimento corporal planeado, estruturado e repetitivo feito para melhorar e / ou manter um ou mais componentes da capacidade física (endurance cardiovascular, força, flexibilidade, entre outros).
Atualmente, a literatura é consensual acerca dos benefícios do exercício. A atividade física e/ou exercício regulares melhoram a função cardiovascular e respiratória, reduzem os riscos de doença cardiovascular (hipertensão arterial, colesterol, triglicerídeos, etc.), reduzem o risco de diabetes melitus tipo II, síndrome metabólica, osteoporose, cancro etc.

O EXERCÍCIO, é por isso, considerado o “medicamento” mais barato e com melhores resultados em diversas patologias e na prevenção das mesmas.

Por estas razões, as recomendações internacionais são:
1. Atividade física aeróbia de intensidade moderada no mínimo 30 minutos por dia, 5 dias por semana ou atividade aeróbia vigorosa, no mínimo 20 minutos, 3 dias por semana.
Exemplos: caminhada, corrida, bicicleta, tarefas domésticas (jardinagem, bricolage, limpar a casa, etc.)
2. Atividades para manter ou aumentar a força e endurance muscular devem ser realizadas no mínimo 2 vezes por semana.

É saudável? Tem patologia crónica? Quer manter-se ou torna-se ativo e não sabe como?

A FISIOVIDA tem Fisioterapeutas especialistas na área que o podem aconselhar sobre a realização de exercício e, sobretudo, adequar a sua prática à sua condição física e às condições climatéricas, para que retire os melhores benefícios do exercício.