A intervenção de Fisioterapia Avançada na entorse do tornozelo

A entorse do tornozelo é um dos problemas mais comuns na região do pé, no qual o resultado obtido com a Fisioterapia Avançada que desenvolvemos tem um elevado nível de eficácia.
O tornozelo é uma região anatómica importante, sobretudo para a marcha. É a área de ligação entre os ossos da perna (tíbia e perónio) e o pé, sendo essencial uma boa relação entre mobilidade e estabilidade para existir uma funcionalidade adequada, não só no desporto mas para as atividades normais do dia-a-dia.

É uma região frequentemente sujeita a lesões, sendo a entorse do tornozelo uma das lesões mais comuns no desporto, perfazendo cerca de 15 a 20% de todas as lesões músculo-esqueléticas.

No desporto, ou no dia-a-dia, uma entorse acontece quando os ligamentos são estirados para além da sua capacidade elástica, na impossibilidade do sistema muscular manter a estabilidade articular. Comummente (mais de 90%) o compartimento ligamentar externo é o mais afetado: é mais frágil, e anatomicamente está mais predisposto pelo movimento lesional em inversão.

A gravidade da lesão ligamentar e irritabilidade/severidade dos sintomas irá depender da alteração estrutural resultante das forças do mecanismo lesional:

  • Grau I: Estiramento ligamentar, com presença de dor e possibilidade de edema local;
  • Grau II: Rutura ligamentar parcial e instabilidade articular. Dor moderada. Presença de edema e rigidez articular associada;
  • Grau III: Rutura ligamentar total e instabilidade articular. Dor intensa e impotência funcional.

    A sintomatologia e grau de incapacidade funcional (ex: andar, mover o pé) irá depende também de cada pessoa e do próprio organismo. Além da lesão ligamentar será importante descartar outro tipo de lesões mais graves como fraturas, lesões na cartilagem, bolsas e capsula articular e lesões musculares/tendinosas.

    Existem vários fatores de risco para a ocorrência deste tipo de lesões, dos quais se destacam:

  • Alterações anatómicas (dismetria de membros, laxidez ligamentar);
  • Alterações posturais importantes;
  • Alterações de mobilidade e coordenação neuromuscular;
  • História anterior de entorses;
  • Desporto/Atividade física que envolvam saltos e corrida.

    A AVALIAÇÃO deverá ser individualizada e dependerá da gravidade da lesão e cronicidade da mesma. Importante numa primeira fase será descartar lesões graves de forma a encaminhar posteriormente para o médico.

    A identificação dos ligamentos e outras estruturas afetadas é essencial para uma intervenção dirigida. Posteriormente é essencial uma avaliação global de forma a identificar fatores de risco que propiciem a ocorrência de lesões.

    De forma “crónica”, uma entorse mal tratada pode gerar alterações estruturais no local e compensações noutras partes do corpo por culpa de alterações de mobilidade resultantes da lesão.

    Relativamente ao TRATAMENTO irá depender também do grau de lesão do ligamento e/ou estruturas adjacentes, fase da lesão e da reação do corpo da pessoa.

    Em geral a lesão é benigna e tem uma evolução muito favorável.

    Numa fase aguda, por vezes são necessárias medidas anti-inflamatórias de forma a controlar possíveis reações exacerbadas. Contudo, não menos importante é a mobilização ativa precoce que tem efeitos positivos a vários níveis.

    O aconselhamento é essencial em qualquer fase da lesão, principalmente para desmistificar muitos receios ou mitos que as pessoas assumem como verdade absoluta, e na FISIOVIDA irá encontrar profissionais que indicarão quais as medidas mais adequadas de acordo com o caso.

    A Fisioterapia Avançada é um conceito muito abrangente, onde selecionamos as técnicas mais avançadas e com evidência científica, para uma recuperação adequada e rápida, tendo em conta também a prevenção de reincidivas. O essencial será dar capacidade para que o corpo consiga uma reparação dos tecidos lesionados e reabilitar possíveis compensações que possam gerar outros problemas à distância.

    De forma complementar a Osteopatia e a Reeducação Postural Global serão métodos que podem potenciar os resultados neste tipo de problema. Além disso, em alguns casos o aconselhamento Nutricional pode ter um papel preponderante no controlo da inflamação e recuperação/prevenção de lesões.

    Fundamental também será o exercício clínico personalizado, mais uma vez adequado a cada fase da reabilitação. Será necessário recuperar todas as funções neuromusculo-esqueléticas, não só na região sujeita a lesão mas de todo o corpo, e, para isso, o exercício é ponto comum na recuperação de qualquer lesão desportiva. Além da abordagem clínica atual, relativamente a este ponto específico 2018 será um ano de novidades na FISIOVIDA.

    Conte com a equipa FISIOVIDA para esclarecer as suas dúvidas!

    Conte connosco para o ajudar.