Disfunções Uro-Ginecológicas

O termo disfunções uro-ginecológicas remete-nos para um quadro em que visualizamos as nossas avós e a perda constante de urina com necessidade de recorrer a pensos absorventes diários.

Contudo, a evolução da ciência já nos permite abrir horizontes e perceber que a uro-ginecologia é, para além de ser um campo importantíssimo desde a infância até à idade adulta e posteriormente, terceira idade, é um campo que engloba todas as alterações a nível do pavimento pélvico ou períneo.
Como alterações/disfunções podemos encontrar desde casos leves de dor púbica, dor coccigea, alteração da integridade da pele originando fissuras, tensão muscular perineal a casos mais delicados que já implicam a perda de urina em esforço, a necessidade constante de urinar e, por vezes, até prolapsos uterinos e/ou retais.

Relativamente à disfunção sexual, seja ela causada por dor durante as relações sexuais, sensação de fricção a ardor e mesmo incapacidade de atingimento do orgasmo são condições passiveis de tratamento com intervenção a nível do pavimento pélvico.

Ainda outras condições relativas a alterações no funcionamento dos intestinos com dor durante a defecação, sensação de não esvaziamento total de fezes presentes no reto e mesmo obstipação são situações que incorporam a área das disfunções uro-ginecológicas necessitando por vezes que o tratamento global seja complementado com técnicas de terapia manual mais localizadas.
Especialmente na área da saúde da mulher, o tratamento dos músculos do pavimento pélvico, região sacro-ilíaca, abdominal e diafragmática são essenciais tanto antes de engravidar de forma a preparar toda esta área para a sustentação do feto durante 9 meses, bem como no final da gravidez de forma a preparar o períneo para um parto natural e, fundamentalmente, no pós-parto trabalhando regiões de aderência cicatricial, libertando tensões criadas pelas alterações biomecânicas durante 9 meses e recuperando a capacidade de contração desta musculatura colocada em sobrecarga.

Deixando uma curiosidade para as recentes mães, sabia que a dor lombar existente na maioria das mulheres no pós-parto tem um forte componente de disfunção muscular do pavimento pélvico com alteração da posição das fibras musculares desta musculatura profunda gerando aderências musculares que impedem o seu correto relaxamento e como tal a sua correta contração.

A FISIOVIDA apresenta tratamento especializado na área das disfunções uro-ginecológicas combinando várias técnicas de forma a potenciar a intervenção e, como tal, o resultado.