Caminhar ou correr em tempos de Covid-19

A propagação deste tipo de vírus pode ocorrer, efetivamente, pela saliva, frequentemente na forma de micro-gotículas.
Quando uma pessoa espirra, tosse ou expira, esta emite pequenas gotículas – tão pequenas que se tornam invisíveis ao olho humano – que podem transportar o vírus.

As pessoas que as recebem podem ficar infetadas pela sua inalação, ou por se depositarem nas mãos e, posteriormente, tocarem nas respetivas faces.

Durante a crise de Covid-19, países por todo o mundo declararam uma distância social de 1,5 metros, existindo evidência de que as gotículas acabam por se depositar no chão ou evaporam antes de viajarem essa distância.
No entanto, essa distância social tem sido definida para pessoas que permaneçam em repouso, não tendo em conta os potenciais efeitos aerodinâmicos introduzidos pelo movimento dos indivíduos, tal como caminhar, correr ou andar de bicicleta.

A taxa de exposição às gotículas aumenta quanto menor for a distância entre o indivíduo líder e o seguidor.
As micro-gotículas apresentam baixíssima inércia e quando duas pessoas caminham ou correm com proximidade, devido aos padrões de fluxo de ar induzidos pelo movimento inerente à prática dessas atividades, essas micro-gotículas podem ser transferidas do indivíduo A para o B. Assim, o movimento dos indivíduos cria padrões de fluxo de ar específicos que influenciam a dinâmica de movimento dessas partículas.
Quanto menor a distância entre corredores, maior será a fração de gotículas às quais o corredor seguidor será exposto.

Numa caminhada de 4 km/h, uma distância de 5 metros não permite o depósito destas micro-gotículas no tronco superior do indivíduo seguidor. Numa corrida a 14,4 km/h, essa distância de segurança aumenta para 10 metros.
Assim, este estudo sugere que os indivíduos que queiram caminhar ou correr atrás de outros e/ou os queiram ultrapassar, o devem fazer fora do cone de ar criado pelo indivíduo líder numa formação escalonada, tendo em conta a distanciamento social seguro de 5 metros na caminhada e 10 metros na corrida.

Os comportamentos seguros que indivíduo seguidor deve adotar de forma a evitar exposição significativa às gotículas disseminadas pelo indivíduo líder passam pelas seguintes ações: evitar caminhar ou correr no cone de ar criado pelo indivíduo líder ou manter as distâncias seguras, de 5 metros e de 10 metros, na caminhada e corrida, respetivamente.

Autor do artigo: Dr. Nuno Silva – Fisioterapeuta especialista em Exercício

Bibliografia
Blocken, B., Malizia, F., Druenen, T. v., & Marchal, T. (2020). Preprint. Towards aerodynamically equivalent COVID-19 1.5 m social distancing for walking and running.