A ajuda da Fisioterapia Avançada no tratamento da “Tendinite”

O tendão é uma estrutura fibrosa que liga o músculo ao osso. É uma unidade importante na proprioceção e sobretudo na transmissão da força entre músculo e osso. Apesar de ser uma estrutura muito resistente, capaz de suportar elevadas cargas e forças de tração, pode também estar sujeita a lesões.

O QUE É UMA TENDINOPATIA OU LESÃO DO TENDÃO?

Na tendionapatia ou lesão do tendão frequentemente coexistem alterações degenerativas com ausência ou mínima resposta inflamatória. Por norma, estão associados sintomas como: dor, edema, limitação do movimento e falta de força.

QUAIS SÃO AS CAUSAS DA TENDINOPATIA?

Os gestos repetidos e/ou executados de forma incorreta e a sobrecarga em movimentos específicos de determinados exercícios ou atividade desportiva são na maioria das vezes as causas das tendinopatias. Atividades físicas novas podem também despoletar sintomatologia nos tendões, por estes não estarem devidamente preparados para desempenhar a função.

QUAIS AS ZONAS MAIS COMUMENTE AFETADAS?

  • Ombro (tendões da coifa dos rotadores, particularmente o supraespinhoso; bicípite braquial);
  • Cotovelo (Flexores e extensores do cotovelo, chamado como cotovelo de tenista);
  • Tendão Quadricipital e Rotuliano;
  • Tendão de Aquiles;
  • Tibiotársica (tendão tibial posterior);
  • Entre outros.

    A identificação da tendinopatia, grau de evolução e severidade da mesma, bem como a exclusão de outras possíveis etiologias para a dor são a prioridade para um tratamento 100% eficaz. A AVALIAÇÃO É POR ISSO O PASSO MAIS IMPORTANTE!

    A história clínica e os testes físicos são muito sugestivos no diagnóstico de patologia tendinosa, contudo, os meios complementares de diagnóstico como a Ecografia, a Tomografia Computorizada ou a Ressonância Magnética podem ser necessários para desvendar a localização e gravidade da lesão.

    Confirmado o diagnóstico, é importante entender qual(ais) o(s) fator(es) etiológico(s) da Tendinopatia, para que seja possível seleccionar de entre a panóplia de técnicas e métodos que a FISIOVIDA dispõe, quais aquelas que melhor resposta darão para o problema do utente, e evitar que o problema se volte a repetir. Além dos fatores supramencionados, a alimentação, a medicação e/ou outras patologias de base podem fragilizar os tendões e aumentar o risco de tendinopatia.

    O QUE PODE SER FEITO AO NÍVEL DE TRATAMENTO?

    Os objetivos primários do Tratamento passam por alívio de dor, melhoria da mobilidade e da funcionalidade o mais rapidamente possível. Técnicas de Mulligan, Fibrólise com ganchos, técnicas de trigger points e miofasciais e eletropuntura são algumas técnicas que a FISIOVIDA dispõe. Dependendo da gravidade da lesão, o repouso seletivo pode ser necessário, bem como a modificação de determinados gestos técnicos no trabalho ou na atividade desportiva.
    As ligaduras funcionais ou a utilização do Kinesio®Taping ou Dynamic®Taping permite muitas vezes extender o efeito pós-tratamento, melhorar o gesto técnico e diminuir a carga sobre o tensão.

    É importante esclarecer que o tratamento muitas vezes passa não apenas pela região dolorosa, mas sobretudo por regiões à distância, de força a regularizar a inervação dos músculos afetados, melhorar a vascularização local para uma reparação tecidular mais eficiente e reequilibrar as cadeias musculares.

    A Eletrólise Percutânea Intratecidular tem demonstrado evidência científica relevante aquando do tratamento de tendinopatias em vários estágios de evolução, e este é mais uma técnica à disposição na FISIOVIDA.

    O tendão é também uma estrutura que necessita de movimento, e por isso o exercício terapêutico deve ser parte integrante da recuperação de uma tendinopatia, de forma a potenciar a regeneração do mesmo e, também, para a reeducação dos padrões de movimento de forma a evitar sobrecarga sobre o tendão e prevenir reincidivas.

    Além da abordagem em Fisioterapia, a Osteopatia e a Reeducação Postural Global, são métodos que potenciam os resultados obtidos, a curto e a longo prazo.

    A Medicina Tradicional Chinesa é outro dos métodos disponíveis na FISIOVIDA, e que pode ser um auxílio importante para o alívio das dores, reduzir a inflamação e potenciar a regeneração tecidular. Pode ler mais AQUI

    O RASTREIO PRECOCE É ESSENCIAL! A identificação precoce de alterações posturais, padrões de movimento alterados ou de fatores que propiciem o aparecimento deste tipo de lesões é vital para realizar uma prevenção bem sucedida deste tipo de patologias.

    O melhor tratamento é por isso…a Prevenção. O tendão é uma região com pouca vascularização, logo a capacidade para se regenerar é mais reduzida e demorada; o tecido conjuntivo pelo qual é composto necessita de tempo para se dar uma remodelação organizada.
    Evitar movimentos repetidos quando possível e fazer exercício de forma adequada e orientada por um profissional habilitado são conselhos a ter em conta.

    Conte com a equipa FISIOVIDA para o esclarecer e ajudar!