O que é a Osteopatia Visceral?

A Osteopatia Visceral é a área da Osteopatia que, tendo por base os conhecimentos científicos, estratégias de avaliação e princípios de intervenção da Osteopatia foca a sua intervenção específica com o objetivo de melhorar o funcionamento dos órgãos e vísceras, tentando estabelecer uma boa relação entre eles, entre o sistema estrutural e o sistema nervoso.

Esta área da Osteopatia parte do pressuposto de que todos os órgãos, assim como todo o corpo, estão em movimento constante e em sincronia entre si e com todas as estruturas que os rodeiam. Quando essa sincronia é perturbada, estamos diante de uma disfunção ao nível visceral.

A Osteopatia Visceral procura assim identificar todas essas disfunções, e relacionando-as com o possível desenvolvimento de determinado sintoma, lesão ou patologia, atua através de técnicas de terapia manual, na normalização dessas funções, procurando restabelecer o equilíbrio perturbado com origem nas mesmas.

A Osteopatia Visceral é indicada em que situações?

A Osteopatia Visceral pode intervir em diversas situações, nomeadamente:

  • Dor torácica, abdominal, menstrual, associada a relações sexuais e cólica renal;
  • Esofagite e gastrite;
  • Hérnia de hiato;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Azia;
  • Dificuldades de digestão;
  • Gases, Diarreias, “prisão de ventre”/Obstipação;
    Hemorróidas;
  • Incontinência e infeções urinárias de repetição;
    Infertilidade.

Porquê recorrer à Osteopatia Visceral?

São diversas as razões que motivam o recurso à Osteopatia Visceral:

  • Intervém de forma complementar à medicina, em diferentes condições clínicas tais como problemas gastrointestinais, ginecológico, urológico ou renal ou em situações que normalmente não são valorizados ou não têm o sucesso terapêutico previsto na abordagem com a medicina convencional;
  • Pela relação que a Osteopatia Visceral faz com a fáscia, que é uma estrutura de tecido conjuntivo que mantém todo o nosso corpo unido, pela conexão de várias estruturas entre si, incluindo as vísceras, ossos e os músculos. Qualquer alteração de uma destas partes poderá levar a uma alteração das outras, razão pela qual a alteração de um órgão se pode repercutir em forma de dor local ou à distância. Daí que, por exemplo, uma disfunção do estômago pode levar a uma dor no ombro esquerdo ou uma disfunção do fígado pode levar a uma dor no ombro direito. Isto acontece porque a fáscia que envolve o estômago e o fígado é a mesma que passa pelo ombro esquerdo e ombro direito, respetivamente.

Quais os benefícios da Osteopatia Visceral?

São vários os benefícios que a Osteopatia Visceral pode proporcionar, tais como:

  • Restaurar a mobilidade, favorecer a vascularização e inervação das diferentes vísceras melhorando, consequentemente, a funcionalidade do corpo, pela relação global que as vísceras estabelecem com os outros sistemas do nosso corpo;
  • Eliminar e prevenir quadros de dor aguda e crónica relacionados com patologias não médicas/funcionais dos órgãos internos;
  • Estimular o equilíbrio/homeostase entre os diversos sistemas do corpo humano, tais como digestivo, endócrino, intestinal, etc. Ao intervir em diversas estruturas que quer pela localização anatómica, inervação ou vascularização têm pontos em comum, influencia todo o corpo de forma global.

Para quem é indicada a Osteopatia Visceral?

A Osteopatia Visceral é indicada para toda a população, de todas as idades, com alteração ao nível do funcionamento visceral, e sinais clínicos ou subclínicos associados aos mesmos, com o objetivo de restabelecer a função e equilíbrio orgânico mas também como prevenção para o desenvolvimento de patologias.
Quando há patologia específica diagnosticada a nível médico poderá ser também uma importante aliada na melhoria da condição geral de saúde.

Porquê optar pela Osteopatia Visceral na FISIOVIDA?

A FISIOVIDA destaca-se como uma clínica especialista e de referência em Osteopatia pelo facto de:

  • Cada utente ter sempre um osteopata em exclusivo, durante uma hora, com diversas especializações e com experiência acumulada de vários anos de prática clínica;
  • A Osteopatia, à semelhança de outras metodologias utilizadas na FISIOVIDA, ter uma visão global do utente e o seu principal objetivo é encontrar a(s) causa(s) primária(s) do problema, intervindo sempre que possível sobre a(s) mesma(s);
  • Todos os osteopatas serem também fisioterapeutas pelo que na avaliação e intervenção clínica, o utente pode beneficiar da soma entre estas duas áreas de saber;
  • Interligar a Osteopatia Visceral com as outras áreas da Osteopatia, Músculo-esquelética e Cranial, permitindo beneficiar o utente em cada consulta da abordagem global preconizada e defendida pela Osteopatia;
  • A FISIOVIDA privilegiar o trabalho integrado, com uma equipa bastante diferenciada, em que todos os osteopatas têm até 9/10 anos de formação especializada: 4 anos de licenciatura em Fisioterapia + 2 a 6 anos de formação em Osteopatia pela Escola de Osteopatia de Madrid (EOM) ou pela Academia Belga;
  • Obtenção de reembolso do valor investido nas consultas: a maioria dos subsistemas de saúde (ADSE, SAMS, SAD, entre outros) e seguros de saúde (AdvanceCare, Médis, Multicare, entre outros) comparticipam, em regime livre, os tratamentos realizados na FISIOVIDA, sendo que em alguns casos, o reembolso pode chegar a atingir 90% do valor investido;
  • Possibilidade de deduzir no IRS o valor investido nas consultas.
  • Muitas vezes a Osteopatia ser conjugada com outras áreas, permitindo desta forma a otimização de resultados e a sua manutenção a longo prazo, tais como
    • Fisioterapia Avançada;
    • Reeducação Postural Global;
    • Pilates Clínico e ginástica Abdominal Hipopressiva;
    • Exercício Clínico e Otimização da Performance (ECOS);
    • Nutrição Funcional;
    • Fisioterapia Dermato-Funcional;
    • Saúde da Mulher/Homem

    ou beneficiar do conhecimento de profissionais de outras áreas externas à FISIOVIDA como:

    • Ortopedia;
    • Traumatologia;
    • Desporto;
    • Patologia Respiratória;
    • Neurologia;
    • Uroginecologia;
    • Pediatria;
    • Psicologia.

Testemunhos

Entrei com dores nos joelhos, e na palma do pé direito. Tinha problemas digestivos.
Agora.. . estou bem ! Nada me dói.
Obrigado é o que posso dizer.
E recomendar.

Joaquim Ferraz

Para mim a Fisiovida, foi o ponto de viragem no meu problema físico. Aquele recuperar de qualidade de vida que só consegui depois de conhecer a Fisiovida e o Dr. Samuel Ferreira. Obrigado pelo vosso trabalho excepcional e espero que continuem sempre assim! Obrigado uma vez mais.

Tiago Miranda