Conduzir SEM dor

Antes do aparecimento dos vidros elétricos, do telemóvel, do comando de televisão, das escadas rolantes e de outras inovações tecnológicas, o corpo encontrava mais ocasiões para fazer aquilo que lhe é inato: mover-se. A rigidez corporal praticada na dinâmica da vida urbana – conduzir e trabalhar sentado por longas horas, por exemplo – representa uma […]

Ler mais