Indução do parto normal

A Acupuntura desenvolvida na FISIOVIDA tem demonstrado a sua importância no “empurrão” que dá ao trabalho de parto.

O início do trabalho de parto corresponde ao aumento da frequência das contrações uterinas, a uma maturação cervical e à alteração da concentração de progesterona, interleucina 8, ciclooxigenase -2, ocitocina, melatonina, relaxina e hormonas fetais.

A ativação do córtex da supra-renal fetal promove a libertação de corticosteroides que estimulam a placenta a converter a progesterona em estrogénios. Estes estrogénios são responsáveis pelo início das contrações uterinas. As contrações uterinas, por sua vez, estimulam a produção de prostaglandinas pelas células do endométrio. A hipófise do feto irá aumentar a libertação de ocitocina e o aumento do fundo uterino e movimentos fetais vão desencadear cada vez mais contrações uterinas. Ou seja, o aumento dos estrogénios em relação à progesterona, o aumento da secreção de prostaglandinas e o aumento da libertação de ocitocina juntamente com o aumento dos movimentos fetais desencadeiam as condições ideais para o início do trabalho de parto.

Segundo um estudo na Nova Zelândia, a indução do trabalho de parto através da Acupuntura permitiu uma redução de 32% do nº de partos por cesariana de emergência, aumentou em 9% os partos vaginais e diminuiu em 35% a necessidade de indução pelo método farmacológico.

No entanto, nem todas as mulheres conseguem reunir estas condições por variadas razões vendo-se a medicina ocidental obrigada a atuar pelo meio de fármacos como a ocitocina sintética que condiciona a contração do miométrio uterino durante o trabalho de parto e o mioepitélio mamário durante a lactação.

A Acupuntura consiste na estimulação neuronal periférica alterando a função sensitiva, motora, autónoma, visceral, hormonal, imunitária e cerebral. Induz a transmissão de sinais pelas fibras nervosas aferentes até à medula espinal e o cérebro (onde é processada) e alterada a resposta ao estímulo. No periparto, a Acupuntura tem como objetivo aliviar a dor, reduzir a duração do trabalho de parto, relaxar a gestante e aumentar as contrações uterinas através da estimulação da hipófise libertando maiores quantidades de ocitocina, sem comprometimento do miométrio (sem entrada em fadiga).

Betts D. The Essential Guide to Acupuncture in Pregnancy and Childbirth. EUROPEAN
JOURNAL OF ORIENTAL MEDICINE. 2006;5(4):67.