Hipopressivos e a queda das vísceras

No nosso dia-a-dia realizamos diversas atividades que aumentam a pressão intra-abdominal, agredindo diretamente o pavimento pélvico debilitando-o.

A Ginástica Abdominal Hipopressiva é o método mais recente capaz de tonificar a faixa abdominal e o pavimento pélvico sem inserir pressões nocivas sobre estes. Assim, mediante uma série de posturas e exercícios realizados de forma rítmica e em apneia expiratória, verifica-se uma diminuição das pressões torácica, abdominal e pélvica e ativação involuntárias das fibras musculares responsáveis pela manutenção do tónus muscular, da postura.

Durante a apneia expiratória é realizada uma aspiração diafragmática, ou seja, uma abertura de costelas e diminuição do perímetro da cintura e como tal, diminuição da pressão interna abdominal. Este efeito de sucção permite tonificar a faixa abdominal e pavimento pélvico bem como sugar os órgãos viscerais. Se não tivermos esta musculatura com um bom tónus, as atividades quotidianas e desportivas aumentam a pressão interna e põem em risco as estruturas que conferem estabilidade pélvica e controlam a micção e função sexual.

O Método Hipopressivo permite assim prevenir a queda dos órgãos internos e até muitas vezes impedir intervenção cirúrgica na medida em que atua sobre a faixa abdominal que vai desde a cintura e rodeia todo o abdómen por baixo do umbigo.

A faixa abdominal tem duas funções: função de proteção dos órgãos internos respondendo aos aumentos de pressão intra-abdominal decorrentes do dia-a-dia eficazmente; estabilidade pélvica e correta transmissão de forças entre o centro do corpo humano e as extremidades. Quando não temos um bom tónus muscular assegurado, os aumentos de pressão das atividades do dia-a-dia põem em perigo a zona pélvica debilitando-a, promovendo situações como hérnia abdominal, inguinal, umbilical, prolapsos uterinos e queda dos órgãos internos com repercussões a nível da continência urinária.