Atualmente, a Hérnia Discal é um dos problemas que mais afeta a qualidade de vida das pessoas, mas para a qual já existem alternativas de tratamento muito válidas, nomeadamente a Osteopatia. Conheça os benefícios do tratamento osteopático da Hérnia Discal e melhore a sua qualidade de vida!

O que é uma Hérnia Discal?

Uma hérnia surge quando uma parte do disco vertebral sai da sua posição normal e ultrapassa o limite ósseo do corpo vertebral, formando uma espécie de bolha.

Habitualmente, esta proeminência surge atrás e num dos lados, ocupando um espaço que deveria estar livre. Como tal, pressiona as estruturas que por ali passam: nervo, pequenos vasos ou ligamentos da coluna, o que desencadeia os sintomas típicos. Os locais habituais de hérnia discal são a cervical e a lombar.

Quais as causas e os sintomas da Hérnia Cervical?

A coluna vertebral apresenta diversos elementos como os ossos, ligamentos, músculos, medula espinal, nervos e articulações, que servem de suporte e permitem o movimento. 

A coluna cervical é o segmento mais móvel de toda a coluna e para isso sacrifica a sua robustez e estabilidade. O peso da cabeça é significativo e tem tendência a ir para a frente submetendo, desta forma, os músculos posteriores da coluna a uma tensão permanente.

Um episódio agudo e traumático da hérnia cervical provoca dor repentina e grave, enquanto que os episódios crónicos apresentam sintomas graduais e esporádicos. Ambos podem estar acompanhados ou não de comprometimento neurológico.

De forma geral, estes são os principais sintomas da Hérnia Cervical:

  • dor persistente no pescoço por vezes com irradiação para um ombro e braço;
  • dormência e sensação de formigamento no antebraço, mão e dedos;
  • forte tensão muscular;
  • dor acentuada ao mover o pescoço e através da tosse, espirro ou esforço para defecar;
  • maior desconforto ao movimentar a cabeça para frente e para trás, especialmente na direção do lado da dor;
  • maior incómodo à noite, interferindo com o sono;
  • vertigens, zumbidos e distúrbios visuais (diplopia).

Existem também fatores biomecânicos locais que influenciam a ocorrência de uma hérnia cervical, especificamente os discos C5-C6 e C6-C7. Estas zonas apresentam elevada mobilidade e relativa falta de estabilidade se comparadas a outros segmentos.

Quais as causas e os sintomas da Hérnia Lombar?

No caso da hérnia lombar, há vários fatores que podem influenciar o seu aparecimento:

  • traumatismos e acidentes;
  • trabalhos físicos forçados e realizados incorretamente, como empurrar, puxar e levantar;
  • hipermobilidade lombar, devido a fixações da pélvis, da caixa torácica ou do membro inferior;
  • diminuição do controlo abdominal, que impede uma relação lombo-pélvica saudável;
  • alterações degenerativas progressivas;
  • doenças metabólicas ósseas como osteoporose e diabetes mellitus, entre outras;
  • obesidade pela sobrecarga no disco.

Dependendo do seu tamanho e localização, a hérnia lombar pode ou não alcançar outros tecidos: o ligamento vertebral ou as raízes nervosas que saem pelos espaços entre as vértebras. Dependendo de como isso acontece, pode ser totalmente assintomática ou causar diferentes tipos de dor (lombar e/ou dor irradiada para a perna) e sintomas, como formigueiros e/ou falta de força na perna. Normalmente, a dor resultante de hérnia lombar aumenta com a tosse, com o espirro e na posição sentada e inclinada à frente.

No entanto, é importante desmistificar alguns conceitos errados quando se fala em “causas da hérnia discal”. De acordo com o Prof. Peter O´Sullivan, um dos experts mundiais no estudo da Dor “…apenas 1% da dor lombar está relacionada com problemas graves da coluna, como malignidade, fratura ou infeção” e apenas 5% está relacionado com alguma protrusão discal ou compressão neural. Ou seja, 90-95 % das dores de coluna não possuem um diagnóstico baseado em exame radiológico. 

Por isso, é que a ajuda da Osteopatia (em conjugação com a Fisioterapia Avançada) em casos de hérnia discal se torna essencial, porque ainda que a pessoa apresente alterações degenerativas na coluna vertebral, na maioria das situações, os sintomas estão relacionadas com a falta de mobilidade das diferentes estruturas da coluna e/ou falta de capacidade no recrutamento muscular que altera a funcionalidade da pessoa, criando condições para a pessoa experienciar a dor. Saiba mais no nosso artigo sobre dor. 

Osteopatia no Tratamento da Hérnia Discal

A evolução mecanizada da sociedade leva as pessoas a assumirem posturas inadequadas no dia-a-dia e no trabalho, sem movimento ou com movimentos repetitivos. A função articular altera-se com a restrição de movimentos e altera a qualidade dos músculos que cruzam a articulação, resultando em alterações da posição e aumento de tensões numa determinada zona do corpo. Estes fatores mantidos no tempo podem evoluir para disfunções mais graves como a hérnia discal.

No entanto, nem sempre a solução passa pela cirurgia. A Osteopatia é uma das áreas da saúde que mais tem crescido nos últimos anos e uma das razões está precisamente relacionada com o sucesso na eliminação da dor em situações de hérnia discal. Esta terapia melhora a mecânica da coluna, elimina as fixações, devolve a mobilidade normal à zona lombar e cervical, trabalha a tensão dos tecidos e dos órgãos internos e restabelece o equilíbrio neuromuscular.

Porém, para que o tratamento osteopático seja realmente eficaz, é essencial fazer um diagnóstico específico para avaliação da postura e da coluna cervical e lombar, encontrando-se, assim, a verdadeira causa da dor e os respetivos sintomas.

O tratamento deve ser iniciado o mais cedo possível, para impedir a evolução do problema. No caso de presença de dor é importante intervir imediatamente para restabelecer o equilíbrio da região cervical e lombar. Desta forma, impede-se o agravamento da situação e a instalação de compensações exageradas e disfuncionais para combater a dor.

Tendo em conta o facto da dor ser multifatorial, a nossa abordagem integrada permite-nos, quando pertinente e necessário, conjugar com a Osteopatia, a Fisioterapia Avançada, a Reeducação Postural Global, o Pilates Clínico e Exercício Clínico (no nosso espaço ECOS), bem como a Nutrição Funcional (quando existem causas viscerais e sistémicas envolvidas na inflamação/dor) para uma rápida melhoria e também para prevenir novos episódios de sintomas decorrentes de hérnia discal. São métodos seguros, realizados sempre de forma individualizada e que contribuem para a obtenção de resultados duradouros. 

Os profissionais de saúde da FISIOVIDA estão disponíveis para ajudar no tratamento da Hérnia Discal. Saiba mais sobre o que é a Osteopatia e como pode transformar a sua vida!

Bibliografia: 

  • Brinjikji W, Luetmer PH, Comstock B, Bresnahan BW, Chen LE, Deyo RA, Halabi S, Turner JA, Avins AL, James K, et al. Systematic Literature Review of Imaging Features of Spinal Degeneration in Asymptomatic Populations. AJNR Am J Neuroradiol.2014 Nov 27. [Epub ahead of print].
  • Ricard F. Tratamiento osteopático de las lumbalgias y lumbociáticas por hernias discales –  2020 –  3ª edição. Medos Editorial
  • Ricard F. Tratamiento Osteopático de las algias lumbopélvicas 2017 1ª edição. Medos Editorial
  • Butler D. e Moseley L. (2003). Explain Pain. Noigroup Publications. Austrália;
  • Netter F. H. Atlas de Anatomia Humana 6ª edição 2015 Elsevier
  • J.C. Licciardone, M.J.Schultz, B. Amen. “Osteopathic Manipulation in the management of chronic pain: current perspectives”. Journal of pain research. 2020; 13:1839-1847
  • J.C. Licciardone, D.E. Minotti, K.P. Singh. “Osteopathic manual treatment and ultrasound therapy for chronic low back pain: a randomized controlled trial”. Annal of family Medicine. 2013; 11(2): 122-129
  • H. Franke, J.D. Franke, G. Fryer. “Osteopathic manipulative treatment for nonspecific low back pain: a systematic review and meta-analysis”. BMC Musculoskeletal Disorders. 2014; 15:286

Resultados imediatos e espetaculares na eliminação da dor!Contacte-nos