Porque ouvimos barulho ao estalar os dedos?
Todas as articulações do nosso corpo são envolvidas por líquido sinovial, que funciona como “óleo” ou lubrificante e que tem o objetivo de facilitar o deslizamento das articulações. Quando esticamos ou dobramos o dedo para estalarmos a articulação, estamos a fazer com que esses ossos se separem. Ao fazer isso há um processo denominado cavitação que produz a formação de bolhas de gás que quando são quebradas produzem o “crack” que tantas vezes ouvimos.

Porque é que não conseguimos estalar sempre os dedos de forma seguida?
Demora cerca de 25 a 30 minutos para que a cavitação volte a instalar-se, surgindo novamente as bolhas de gás que irão produzir o barulho ao serem rompidas.

É mau estalar os dedos?
Quanto aos danos associados a esse hábito, de acordo com a anatomia e fisiologia, foi publicado apenas um estudo aprofundado em relação aos possíveis prejuízos no hábito de estalarmos as articulações. Os resultados não revelaram nenhuma ligação aparente com patologias como artrite; no entanto, esse hábito pode apresentar sinais de outros tipos de danos, incluindo danos de tecidos moles para a cápsula articular e uma diminuição na força de preensão.
Do lado positivo, há evidências no aumento da mobilidade nas articulações logo após o estalo. Quando as articulações são manipuladas, há um conjunto de receptores tendinosos que são estimulados e os músculos ao redor da articulação ficam relaxados. Esta é a razão das pessoas sentirem a articulação mais “leve” e “solta” após estalarem as articulações.

Será então favorável ou não estalar os dedos?
A opinião da FISIOVIDA é que não deve tornar isso num hábito. Há uma maior probabilidade de vir a sofrer futuramente por causa desse “hábito” do que vir a beneficiar, porque quando uma determinada articulação é exageradamente agredida, esta fica com maior predisposição para originar problemas no futuro.

Siga o nosso conselho.