Acupuntura no fortalecimento do Sistema Imunitário

A Acupuntura desenvolvida pela FISIOVIDA no Porto aumenta a capacidade do sistema imunitário.

O sistema imunológico é responsável por proteger o organismo dos invasores patogénicos e eliminar as células alteradas, ou que sofreram mutação.

Logo após o nascimento, o nosso organismo inicia um permanente contacto com o exterior sendo a pele, o trato gastro-intestinal e o aparelho respiratório que fazem a fronteira entre o meio interno e o externo.

Na Medicina Tradicional Chinesa – MTC – é atribuído a estas estruturas também o papel de defesa do nosso organismo. O pulmão como entidade estrutural e funcional na medicina chinesa é muito mais do que o órgão que se encontra na caixa torácica. É responsável por distribuir a energia defensivum (qi defensivum) pelo nosso corpo de forma a protegê-lo de eventuais invasores. Assim, a Medicina Chinesa acredita que quando expiramos a energia flui pelo nosso corpo. Este fluir de energia irá proteger o nosso corpo dos agentes externos patogénicos. Este é chamado o efeito de limpeza do pulmão como entidade estrutural e funcional.

Segundo a Medicina Ocidental, o trato respiratório é a superfície que mais contacta com o exterior tendo mais de 50 tipos de células das quais pelo menos 12 tipos são epiteliais, segregando substâncias como as mucinas e contribuindo para o desenvolvimento de células fortemente relacionadas com o sistema imunitário como linfócitos, macrófagos e produção do tecido linfático.

Desta forma, devido ao seu constante contacto com o exterior, não é de estranhar que a estimulação dos mecanismos relacionados com a imunidade específica (que é dependente do antigénio) se inicie a partir das células presentes no tecido pulmonar.

Fazendo a ponte entre a MTC e a Medicina Ocidental não parece nada estranho que a medicina há muitos anos atrás tenha já atribuído ao pulmão funções de controlo de imunidade e, muito menos, que uma grande percentagem de doenças auto-imunes tenha repercussão no pulmão, pele e trato gastro-intestinal, como por exemplo, asma, rinite alérgica, sinusite, artrite reumatoide e síndrome do cólon irritável, entre muitos outros.